22 de maio de 2011

TESTEMUNHO PESSOAL #2

CORREÇÃO, PROVAÇÃO E TESTEMUNHO:
HONRA PAI E MÃE PARA NÃO PRECISAR SER CORRIGIDO POR DEUS

“Honra teu pai e tua mãe, para que
se prolonguem os teus dias
na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá.”
ÊXODO 20: 12

Quero compartilhar com os irmãos um ensinamento e uma correção que o meu SENHOR e o meu DEUS me deu:

Nesta quinta e sexta-feira tive desentendimentos com a minha mãe. Eu estava muito irada com alguns acontecimentos que me angustiaram muito o coração. Fui tentar convencê-la do evangelho genuíno de JESUS e em meio à ira, e para piorar acabei desfazendo e faltando com o respeito com a minha mãe.

Cheguei à casa furiosa e muito irada, não queria nem ver ou falar mais com ela. Saí de bicicleta tentando encontrar alguém para desabafar meus sentimentos. “Batendo” em duas portas e não encontrando pessoas que confiança para desabafar o jeito foi pegar o caminho de casa.

Vinha um carro na direção contrária e eu que estava no meio-fio fui tentar sair, mas fiquei com medo de trombar no carro. Me atrapalhei toda e caí. Caí e tentei me apoiar no braço direito para evitar maiores machucados. Glória a Deus que as pessoas do carro viram e voltaram para me ajudar. Em meio às minhas lágrimas de angústia, nervoso e arrependimento (pois no mesmo momento reconheci a correção de Deus), eles me ajudaram a levantar. Pediram para que eu parasse de chorar e se ofereceram até mesmo a me levar em casa. Eu envergonhada, agradeci, mas disse que não precisava. Eles então me falaram para eu não montar na bicicleta, mas para eu ir empurrando. Como forma de agradecimento eu disse: - Muito obrigada, Deus os abençoe em dobro e vão com Deus.

Em respeito ao pedido e agradecida pela ajuda alheia, fui empurrando a bicicleta. Mas quando percebi que o carro se afastou o suficiente, eu “dei um jeito” de montar na bicicleta e cheguei logo até em casa. Minha mãe estava deitada. Cheguei e a dor estava insuportável, resolvi tomar banho mesmo sabendo que ia arder os machucados e resolvi ir até a Farmácia do Ilson (porque eu não queria ir no postinho sozinha) para ver o que ele me indicaria de remédios.

Voltei para casa. Minha mãe estava na porta, desviei dela. Então ela disse: - Você fica andando de bicicleta nervosa, vai acabar caindo. Respondi: - Já caí. Tá feliz agora? Encostei a bicicleta e fui para a cozinha. Lá ela quis saber o que aconteceu contei que caí de bicicleta e machuquei a mão, cotovelo, a coxa e o pé direitos em meio a prantos. Ela se dispôs a passar a pomada em mim. Eu aceitei. Quando ela terminou de passar eu disse: - Obrigada. Ela respondeu: - Não fiz mais do que a minha obrigação. Tornei a responder: - Ainda assim, obrigada!!! O remédio de tomar deu sono, então eu deitei e depois de ela me cobrir eu dormi.

Acordei muito envergonhada e fui até o quarto dela. Ela estava deitada com os vermelhos de tanto chorar. Quando entrei ela tentou me mandar sair do quarto. Mas eu não saí. Comecei a conversar com ela e pedir para ela parar de chorar, abrir a boca, parar de sofrer calada. Pedi perdão, reconhecendo meu erro e disse a ela que estava muito arrependida, ela não aceitou porque achou que não estava sendo sincera. Eu expliquei que estava sendo sincera e que nunca mais iria fazer de novo o que fiz e que pediria perdão até que ela me perdoasse.

Pedi perdão várias vezes até ver em sua expressão uma mudança de pensamento e atitude e entender que meu pedido de perdão era sincero. Ela entendeu e me perdoou. Explicou que mãe sempre perdoa os filhos. Perdoa e esquece. (Eu fiquei abobada! Mãe age como Deus, quando perdoa, “lança fora no lago do esquecimento”. Nem sabia o que dizer ou fazer!)

Quando menos esperava ela me pediu perdão por não ver ou perceber que eu cresci e não sou mais criança. [Estou emocionada ao escrever estas linhas.] Respondi que não tinha do que pedir perdão pois isto é natural, os pais não percebem quando os filhos se tornam adultos.

Nos abraçamos e ela me contou um pouco mais sobre a minha história de quando ela estava grávida de mim e disse que meu pai comprava as roupas mais lindas dizendo: É a princesinha do papai! Fiquei muito feliz e comovida!!! Emocionei! Nos abraçamos e foi lindo aquele momento de entendimento entre mãe e filha.

Em minha oração noturna ao Pai, antes de dormir, pedi perdão ao Senhor por desrespeitar a minha mãe, reconhecendo que as marcas na minha mão, braço e cotovelos, coxa e pé direitos é para eu lembrar que nunca mais devo desrespeitar a minha mãe seja gritando com ela ou querendo levantar minha mão para ela.

Dormi bem e em paz. No dia seguinte a dor no pulso era muito grande, poucas coisas consigo ainda fazer, porque onde mais machucou foi o meu pulso. Minha mãe se ofereceu de me levar no Posto de Saúde. Não queria ir porque achei que poderiam querer por uma tala no meu braço, mas engoli meu orgulho, tomei banho, me troquei e fomos minha mãe Lourdes, minha sobrinha Maria Eduarda e eu ao Posto de Saúde. O médico que me atendeu passou um anti-inflamatório e mandou eu tomar uma injeção “na polpa”. Aiaiai... que vergonha! Mas fui com a cara e a coragem e tomei. Não doeu muito, mas depois ficou ardida e veio um gosto ruim na boca e também bateu um sono. Fomos até a farmácia, ela comprou o remédio. Chegamos à nossa casa ela passou o remédio e eu dormi por causa do efeito da injeção.

Por isso alerto a todos os(as) filhos(as): crianças, jovens ou adultos!
RESPEITEM SEU PAI E SUA MÃE, NUNCA OUSEM INVERTER OS PAPÉIS,  porque Deus corrige. Deus corrige seus filhos assim como um pai corrige seus filhos: “Filho meu, não rejeites a disciplina do SENHOR, nem te enfades da sua repreensão. Porque o SENHOR repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem.” PROVÉRBIOS 3:11-12

JAMAIS OUSEM DESRESPEITÁ-LOS!
Honrar pai e mãe é mandamento do Senhor para que se prolonguem os nossos dias nesta terra. Que esta correção – provação – testemunho seja um aviso para que você leitor(a) jamais caia neste erro!
  
“Ouve a teu pai, que te gerou, e não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer.
Grandemente se regozijará o pai do justo, e quem gerar a um sábio nele se alegrará.
Alegrem-se teu pai e tua mãe, e regozije-se a que te deu a luz.
Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos se agradem dos meus caminhos.”
PROVÉRBIOS 23:22,24-25


“O filho insensato é tristeza para o pai
e amargura para quem o deu à luz.”
PROVÉRBIOS 17:25

Filhos(as)
Sejam sempre fiéis a DEUS acima de tudo e honrem e respeitem seu pai e sua mãe.

Lembrem-se: uma mãe nunca se esquece de um filho!

LOUVADO SEJA O NOME DO SENHOR!!!

Missionária: Kátia Tribiolli
FONTE(S):
EXPERIÊNCIA PRÓPRIA – Dias 19 e 20 de maio de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE!
Sua opinião é muito importante para o blog!
Deixe aqui sua opinião, sua crítica ou seu entendimento sobre o artigo.
ATENÇÃO! Nem todos os comentários serão aprovados!
Para maiores esclarecimentos sobre aprovação dos comentários acesse a página: SOBRE e leia nossa Política de Comentários.

Get Sharing Tolls